Política

Deputados baianos que votaram em agenda bolsonarista receberam R$ 43 milhões em emendas parlamentares

Márcio Marinho (1º à esq.), do Republicanos, é quem soma o maior volume de recursos empenhados em 2021: R$ 11.869,986.00

Quatro dos seis deputados baianos que votaram pelo aumento do fundão eleitoral de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões e a favor da chamada PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do voto impresso embolsarão, juntos, R$ 43,2 milhões em emendas destinadas pelo governo Jair Bolsonaro (sem partido).

A cifra consta de um levantamento feito pelo Metro1 com base em informações disponíveis no Portal da Transparência da gestão federal. Os dados se referem a valores de emendas individuais para pagamento em 2021.

Emendas parlamentares são propostas feitas por deputados e senadores — e também por bancadas temáticas do Congresso — para redirecionar verbas do Executivo para determinada área ou programa em suas bases políticas. Os recursos que servem tanto para suprir necessidades emergenciais — a exemplo do enfrentamento da pandemia — quanto para atender a demandas regionais, que ganham peso em anos eleitorais.

De acordo com os números compilados pela reportagem, Márcio Marinho (Republicanos) é quem soma o maior volume de emendas empenhadas: R$ 11.869,986.00 no total.

Na sequência, aparecem Igor Kannário (DEM), com R$ 11.711,666,00;  Claudio Cajado (PP), com R$ 8.942,69,00; e Cacá Leão (PP), com R$ 9.729,102.00. 

Embora também tenham votado pela aprovação das duas matérias, Tia Eron (Republicanos) e Tito (Avante) não figuram na lista. 
 
Reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que o governo Bolsonaro liberou R$ 1,03 bilhão em emendas individuais a parlamentares em 2 de agosto de 2021, às vésperas de a comissão especial da Câmara analisar PEC sobre o voto impresso. Oito dias depois, a proposta foi rejeitada pela comissão e também pelo plenário.

Apesar de a PEC ter sido barrada, uma vez que não atingiu os 308 votos necessários, o texto ganhou o apoio da maioria dos presentes.
Foram 229 votos favoráveis e 218 contrários. Bandeira bolsonarista, o voto impresso tem sido usado pelo presidente para fazer ataques à democracia.

Já o texto do fundão eleitoral, que prevê quase o triplo de dinheiro para gastos em campanhas eleitorais em 2022, foi aprovado em 15 de julho, dentro da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022.  Na Câmara, obteve 278 votos a favor, 145 votos contra e 1 abstenção. No Senado, o placar ficou em 40 votos favoráveis e 33 contrários.

DEPUTADOS BAIANOS QUE ENDOSSARAM PAUTAS BOLSONARISTAS CONTEMPLADOS COM EMENDAS NESTE ANO* 

Márcio Marinho (Republicanos) – R$ 11.869,986.00 
Igor Kannário (DEM) – R$ 11.711,666,00
Claudio Cajado (PP) – R$ 8.942,69,00
Cacá Leão (PP) – R$ 9.729,102.00
Tia Eron (Republicanos) – Sem valores empenhados
Tito (Avante) –  Sem valores empenhados
 

Fonte: Portal da Transparência

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo