Política

Governo diminui verbas destinadas a programas prioritários do PT

 O governo oficializou ontem o corte de R$ 69,9 bilhões no orçamento da União para este ano, valor que representa 6% do montante aprovado para o ano. Foi o maior contigenciamento de recursos anunciado desde 2003. 

 
A tesoura – afiada pela demora do Congresso em aprovar as medidas do ajuste fiscal e pela necessidade de economizar recursos para pagar juros da dívida federal e reconquistar a confiança de investidores – atinge os 39 ministérios e não poupa sequer programas que são vitrines da administração petista, como o Minha Casa Minha Vida e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 
 
A área da Educação perdeu R$ 9 bilhões. O slogan governamental adotado para o segundo mandato de Dilma Rousseff  é Pártia Educadora. Antes mesmo do anúncio do corte, o governo já sofria críticas pela diminuição de reusos para as universidades federais, para o Fies – programa de financiamento estudantil – e para o Pronatec – voltado ao ensino técnico. 
 
Os cortes no Minha Casa vão atingir os imóveis destinados ao público com renda de até R$ 1.600, totalmente subsidiados pelo governo. Já as obras do PAC, por sua vez, são destinadas a melhorias na infraestrutura do país para aumentar competitividade da economia brasileira. O total de recursos contingenciados para o PAC chega a R$ 27,7 bilhões, incluindo aí  R$   7 bilhões que estavam previstos para o Minha Casa Minha Vida. Agências

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo