Política

Rui Costa defende Cuba: “vou pedir aos EUA que tenham o mínimo de piedade com aquele povo”

O governador Rui Costa (PT), nesta manhã de quarta-feira (21), defendeu Cuba. O País passa por um processo de protestos contra e a favor do regime político local frente as interferências do governo norte americano. O petista foi na linha do discurso do ex-presidente Lula (PT), que criticou a situação externa do país durante entrevista a emissoras de rádio. 

“Se eu tiver de fazer uma manifestação em relação a Cuba eu vou pedir aos Estados Unidos: tenham o mínimo de piedade e humanidade com aquele povo, deixa aquele povo viver, tire as mãos de tire do cerco de Cuba independente do modelo que aquele povo escolheu pra viver. Chega da gente ficar aqui julgando outros país. Deixa o povo viver do jeito que quer viver, o povo nosso não escolheu esse presidente daí, essa tragédia! Eu não vejo o governo americano falando da tragédia que é o nosso governo”, afirmou em conversa com os jornalistas no bairro do Costa Azul.  

Rui contextualizou sua declaração ao fazer referência de visitas suas feitas a Cuba. Disse conhecer a realidade do povo local. “É um negócio surpreendente: o povo é a cópia semelhante de Salvador. Quem conhece Cuba, já foi lá parece que você tá em Salvador com a alegria do povo, a vontade de trabalhar daquele povo. Eles tem um sistema de saúde invejável no mundo é a menor taxa de ocupação do mundo, a menor taxa de amputação de membros do mundo que eles tem”. 

“O que se faz com aquele povo é como se imagine Salvador cercada por uma série de navios americanos proibindo de chegar carro, de chegar máquinas, de chegar investimento, isso é cruel com o outro ser humano. É cruel ali. Tem seres humanos tentando sobreviver. O básico da humanidade é respeitar a autonomia dos países, cada um vive do jeito que quiser viver. Não cabe a quem entrar no Brasil ficar analisando o jeito e o modo que o cubano”, completou.

Fonte: Bnews

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo