CulturaDestaque

Com investimento de R$ 15 mi, prefeitura lança projetos de turismo étnico-afro em Salvador

A prefeitura de Salvador lançou, nesta quarta-feira (21), dois dos quatro projetos previstos no plano de fomento ao Turismo Étnico-Afro: AfroBiz Salvador e AfroEstima Salvador, ambos voltados para a população afrodescendente, que corresponde a mais de 80% na cidade.

Segundo o prefeito Bruno Reis, as iniciativas, que contam com financiamento de R$ 15 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), através do Prodetur, pretendem valorizar as potencialidades locais e tornar a cidade competitiva com o setor de turismo no mundo.

Citando as belezas naturais, o patrimônio histórico e cultural, o sincretismo religioso, a gastronomia e o povo soteropolitano, o prefeito Bruno Reis afirmou que o objetivo do plano é “usar esse ativo e ser mais um importante diferencial na atração de turistas à nossa cidade, mas com o objetivo principal de gerar emprego e renda”.

O prefeito contou ainda que o plano começou a ser elaborado durante a gestão de Claudio Tinoco na Secretaria de Cultura e Turismo, mas não teve a celeridade que desejava, por causa da pandemia. “Agora sim, para valer, estamos correndo contra o tempo e lançando dois importantes produtos desse plano”, pontuou.

O AfroBiz é uma plataforma online voltada para rodadas de negócios, que prevê cadastrar e conectar ao menos 2,5 mil afroempreendedores de turismo, com consumidores nacionais e internacionais. “A prefeitura vai investir recursos, vai divulgar, dar apoio, cadastrar essas pessoas e conectar toda a cadeia produtiva com o objetivo de fortalecer ainda mais esse setor”, garante Bruno.

O AfroEstima, por sua vez, é um programa de capacitação e mentoria afro-empreendedora gratuito voltado para trabalhadores do Turismo Étnico-Afro em Salvador, que visa qualificar a cadeia produtiva para que ela possa ser inserida no ambiente global e online. Com um total de 13 módulos, os cursos envolvem áreas como marketing digital, gestão de negócios e liderança com foco na juventude negra, além de atividades chamadas de sociais, a exemplo de “História, cultura afro-brasileira e da diáspora” e “Desenvolvimento Pessoal e Social”.

Bruno Reis salientou ainda que o lançamento dos programas está inserido também entre as ações de sua gestão para a retomada econômica “objetivando recuperar o tempo perdido por conta da pandemia”, levando em consideração a vocação da cidade, cujo setor de serviços corresponde a 60% do PIB e tem no turismo o maior gerador de emprego e renda. “O turismo foi um dos mais impactados, senão o mais impactado na pandemia, mas agora temos que nos preparar e começar a dar os passos para dar a volta por cima”, concluiu. 

Presente no lançamento, o secretário de Cultura e Turismo, Fábio Mota, revelou que após o AfroBiz e AfroEstima, que correspondem aos eixos 1 e 2, os demais estão em processo de licitação. Ele estima que “no máximo em 60 dias” devem ser lançados os projetos Salvador Capital Afro, Guia Black, Ação de fortalecimento do ofício das Baianas e atividades de Relações Públicas e Assessoria de Imprens, que constituem os eixos 3 e 4 do plano de fomento ao Turismo Étnico-Afro de Salvador. 

Fonte: Bahia Notícias

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo