Política

Câmara de Cruz das Almas abre CPI para apurar irregularidades financeiras na Santa Casa

“Ficar sem a Santa Casa de Misericórdia é um câncer para o município”, afirmou o vereador da Câmara de Cruz das Almas, Renan Gonçalves (PP), que pediu a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis irregularidades na gestão financeira da unidade entre os anos 2000 e 2015 – estimado, conforme informações preliminares, em cifras próximas a R$ 2 milhões. A Santa Casa de Misericórdia de Cruz das Almas, instituição filantrópica mantida por recursos próprios, pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pela prefeitura municipal, foi fechada em 2013 e, segundo o parlamentar, por disputas políticas. “Membros de grupos políticos de oposição e situação brigavam para eleger o provedor da Santa Casa e eu acredito que isso gerou um desgaste na administração, e não temos acesso às contas da instituição”, avaliou Gonçalves.


Foto: Bahia Recôncavo

A comissão da CPI foi anunciada na última segunda-feira (8) e tem o prazo de 90 dias para apresentar o relatório. O colegiado é formada por dois vereadores de oposição e três de situação: Max Passos (PP), Manuel de Paula (PP), Valpete Filho (PNN), Valdo Caldas (PSB) e Joseni Rodrigues (DEM). Ainda de acordo com Gonçalves, a Santa Casa tem atualmente, além de problemas estruturais, dívidas trabalhistas, o que fez com que a prefeitura diminuísse os repasses destinados à Santa Casa. “A prefeitura deixou de fazer os repasses devido às certidões, a instituição está inadimplente”, disse. Ainda segundo o parlamentar, o atual provedor da Santa Casa, Natanael Evódio, enfermeiro, tem realizado melhorias na estrutura física do local. “Ele conseguiu dar uma recuperada no prédio, deu os primeiros passos para a recuperação” contou. Sem a Santa Casa de Misericórdia, a população de mais de 60 mil pessoas recorre a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município em momentos de necessidade.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo