Política

E-mail enviado a doleiro indica que assessor do PP recebeu R$ 25 mil

A Polícia Federal interceptou comunicações do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, que mostram não ter se limitado a diretórios e deputados o repasse de recursos a políticos no ano de 2010. Um funcionário com mais de dez anos de serviços prestados ao PP no Congresso em postos-chave aparece em um e-mail enviado ao doleiro como beneficiário de um depósito de R$ 25 mil. Ivan Vernon Gomes Torres Júnior trabalha na segunda secretaria da Câmara, ocupada por Simão Sessim (PP-RJ). Documentos apreendidos pelos investigadores e revelados anteontem pelo Estado mostram a intermediação por Youssef de doações de R$ 4,640 milhões de fornecedores da Petrobrás a diretórios do PP e do PMDB. Há ainda novas pistas que podem elevar em mais R$ 2,7 milhões os recursos distribuídos em ano eleitoral. Youssef, segundo a investigação, atuava em parceria com Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal indicado pelo PP e que tinha amplo trânsito com PMDB e PT. Ele também está preso. O nome de Ivan Vernon aparece em um e-mail recebido pelo doleiro no dia 22 de dezembro de 2010. O interlocutor não foi identificado. O título da correspondência é “número das contas”. O assessor tem a sua conta no Banco do Brasil detalhada com a descrição de um repasse de R$ 25 mil. Os investigadores ressaltam no documento o fato de ele trabalhar na Câmara. Informações Política Livre

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo