Política

Exclusivo: Geddel fala sobre ida de Marina para o PSB e confirma aproximação com o governador de Pernambuco Eduardo Campos

Na manhã deste domingo (06), o presidente estadual do PMDB Geddel Vieira Lima, concedeu por telefone uma entrevista EXCLUSIVA ao site Mídia Recôncavo, para avaliar os últimos acontecimentos da política nos níveis estadual e nacional. O ex-ministro destacou as filiações dos deputados Bruno Reis e Graça Pimenta ao PMDB e falou sobre sua aproximação com o governador de Pernambuco Eduardo Campos, que é pré-candidato a presidente da república pelo PSB. O líder político deixou escapar que também tem conversado com Aécio Neves (PSDB).

Confira trechos de mais uma entrevista EXCLUSIVA do Mídia Recôncavo:

Mídia Recôncavo – Qual sua avaliação sobre as filiações dos deputados Bruno Reis e Graça Pimenta ao PMDB?

Geddel – Muito otimista! Eu acho que a vinda da Graça e do Bruno fortalece muito o PMDB e o nosso projeto de liderar uma ampla coligação de partidos, que possa apresentar para a Bahia um projeto alternativo a esse que aí está. A filiação do Bruno Reis tem um significado ainda mais especial. Ela sinaliza claramente o avanço das mudanças que temos tido com o Democratas e com o prefeito ACM Neto, nessa política do apoio, da atitude, para que possamos montar uma chapa forte e fazer uma disputa que nos leve a vitória no ano que vem.

Mídia Recôncavo – Recentemente a imprensa divulgou informações de que Eduardo Campos ofertou o apoio do PSB a sua candidatura na Bahia. Essas informações são verídicas?

Geddel – Eu tenho conversado muito com Eduardo Campos, é um amigo fraterno, que tenho uma relação de absoluta paz. Tenho conversado com ele, com o senador Aécio e com aqueles que estão mais vinculados com a oposição da Bahia. Quando muitos dizem que na política ainda é cedo para falar algumas coisas, as pessoas pensam que isso é coisa de político que não quer falar. Mas os fatos confirmam, vocês vejam aí o movimento ontem de Marina Silva, que inquestionavelmente no ponto de vista político mexe muito com esse quadro. Vamos aguardar agora o desdobramento, pois primeiro estamos consolidando a aliança estadual e eu estou muito feliz com os avanços, para depois sentarmos em uma mesa e discutir qual é a posição em relação ao processo nacional.

Mídia Recôncavo – Como o senhor analisa a adesão de Marina ao PSB?

Geddel – É um fato político importante, vamos ver agora o resultado eleitoral disso. Vamos ver como é que os brasileiros de uma forma geral vão avaliar. Mas inquestionavelmente que dar uma robustez a candidatura do governador de Pernambuco Eduardo Campos, que aliás vem fazendo um governo de excelência em Pernambuco. Me alegra em relação a comunidade pernambucana e me entristece pelos baianos, que toda a comparação que fazemos em qualquer área Pernambuco está muito a frente por conta de uma administração eficiente em relação a Bahia. Dentre outras coisas, a Bahia vive um momento de uma situação complicada, sem capacidade de investimento e até atrasando salários dos funcionários públicos, que é muito grave.

Mídia Recôncavo – Em nota a imprensa, o senador Aécio Neves disse que a decisão de Marina foi uma resposta ao PT. O senhor acredita nessa hipótese?

Geddel – A ex-senadora Marina Silva vinha se queixando muito de interferência dos setores do PT, principalmente na questão de reconhecimento de firma nos cartórios. Ta muito revoltada com aquilo que ela ta chamando de chavismo, onde o PT ta tentando fazer um partido único, ter uma política sem concorrentes e isso pode ter tido influência na decisão de Marina.

Mídia Recôncavo – Qual a sua avaliação sobre o governo da Bahia?

Geddel – Se vocês observarem os números da segurança pública irão observar que se matou mais na Bahia no ano passado, do que em toda a guerra do Afeganistão. O Estado não tem um projeto de segurança pública e eu tenho defendido claramente que se discuta a implantação de cargos e salários dos policiais, que discuta a incorporação da GAPE para que esteja na reserva, tentar resolver esse entre e sai de armas e drogas, enfim, construir um efetivo policial do tamanho das necessidades da Bahia. Tem saída. Se você vai na educação, o único programa do governo é o TOPA, o Todos pela Educação, que alfabetiza adultos. A educação não pode ter programas apenas para os adultos, tem que se tentar estabelecer metas para o aprendizado, a construção de creches. A criança no primeiro momento necessita de uma educação de qualidade e isso não permite que ela volte depois de idosa para buscar a alfabetização. Falando da saúde da Bahia, nós encontramos postos sem médicos, hospitais sem vagas e muitas pessoas morrendo por falta dos serviços. O caminho está aí, onde outros estados mostraram resultados positivos, enquanto a Bahia foi o estado que menos desenvolveu Programa de Saúde da Família no Nordeste. Se você vai para Pernambuco vai ver que o estado ganhou o prêmio da ONU de Polícia e Segurança, reduzindo em quase 40% o índice de homicídios. Eu tenho absoluta certeza que nós podemos ter um governo melhor.

Mídia Recôncavo – Já existe algum acordo para ACM Neto apoiar sua candidatura em 2014?

Geddel – Estamos caminhando bem pra isso. Eu tenho certeza que ACM Neto vai está conosco. Já estamos conversando com Paulo Souto, o PSDB e outros partidos que fazem oposição na Bahia.

Mídia Recôncavo – O PMDB da Bahia irá apoiar a reeleição da presidenta Dilma Rousseff?

Geddel – Como disse antes, no momento certo sentaremos na mesa com os partidos de oposição aqui na Bahia, que com certeza vão estar juntos, para discutir o que será melhor para nosso estado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo