Geral

2 de julho: Fogo Simbólico deixa cidade de Cachoeira

 

O Fogo Simbólico da Independência da Bahia deixou a cidade de Cachoeira (a 110 km de Salvador) às 8h da manhã deste domingo, 30, e deve chegar a Salvador por volta das 17h desta segunda-feira, 1º.

A tocha foi acesa pelo secretário de Educação do município, Alexsandro Rocha, após a missa celebrada pelo frei cachoeirano Gilson Magno, na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário.

Ao som do Hino de Cachoeira, a tocha foi entregue ao atleta veterano José dos Santos, o Zé de Zuza, de 71 anos, que há 20 ajuda a carregar a tocha. O corredor baiano conhecido pelo apelido de Trem de Ferro participou da cerimônia.

Antes de deixar a cidade, o Fogo Simbólico percorreu as ruas históricas de Cachoeira e depois seguiu pela BR-420, com sentido aos municípios de Saubara, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias e Simões Filho.

Cerca de 40 atletas cachoeiranos, jovens e veteranos participaram do revezamento da tocha, num percurso de 110 km a pé. A tocha chegou a Saubara por volta do meio-dia e pela tarde seguiu para a cidade de Santo Amaro.

O percurso da corrida é o mesmo feito pelos voluntários que partiram das vilas do Recôncavo para enfrentar os portugueses na capital baiana até que fosse conseguida a vitória em 2 de julho de 1823.

A tocha parte de Cachoeira porque esta foi a primeira vila a se levantar contra o domínio de Portugal, em 25 de junho de 1822. Depois de Santo Amaro, a tocha foi levada para São Francisco do Conde, Candeias e Simões Filho.

O destino final do fogo simbólico é o bairro de Pirajá, em Salvador, onde é conduzido pelos soldados do Exército e atletas baianos. A Independência do Brasil na Bahia completa 190 anos amanhã, dia 2 de julho.



Concurso

Casarões do Centro Histórico de Salvador começaram  a ser enfeitados para o concurso de fachada mais bonita, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), em função dos festejos da data cívica. O concurso não era realizado desde 2010.

As casas decoradas com a temática do Dois de Julho serão avaliadas por uma comissão composta por personalidades de referência cultural. A repórter de A TARDE Cleidiana Ramos é  uma das integrantes do júri.

Para participar não é preciso inscrever-se: basta decorar a fachada (comercial ou residencial), que deve estar obrigatoriamente em uma das ruas por onde passa o cortejo. Os 1º, 2º e 3º lugares terão prêmios em dinheiro. Haverá ainda duas menções honrosas. A Tarde

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo