Política

AL-BA: oposição perde força com adesão do PTN ao governo baiano

Com a adesão do PTN à base do governo estadual, a oposição na Assembleia Legislativa da Bahia perde mais força e aponta para um cenário bastante favorável ao governador eleito Rui Costa (PT) nos próximos quatro anos. Com a aliança com o PT, a bancada da minoria iniciará os trabalhos da 18º legislatura em 2015 com a oposição menor, tendo garantida até então apenas seis deputados do PMDB, seis democratas e três tucanos. Na liderança assume o deputado Sandro Régis (DEM). Nos bastidores políticos, é aguardada com expectativa a posição de ferrenhos oposicionistas do PTN na Assembleia, a exemplo do deputado Carlos Geilson. Ele foi procurado pela equipe de reportagem, mas não atendeu às ligações. Para o deputado Régis (DEM), a situação não muda tanto e sua bancada continuará à frente dos trabalhos lutando pelos interesses do Estado. Nos bastidores ventila-se ainda a afirmação de que haverá muita mudança para a oposição porque dois deputados do PTN já estariam com Rui Costa. De acordo com o líder do governo na Assembleia, deputado Zé Neto (PT), ainda é muito cedo para fazer as contas de quantos deputados ficarão na base ou na oposição. Ele adiantou, porém, que o objetivo atual é fazer um projeto sólido.“A primeira caminhada é com a chegada desses. Temos que concluir essa chegada e fortalecer. Nessa primeira instância estamos buscando abraçar nosso e projeto. Temos um problema aqui, outro acolá, mas iremos manter o grupo coeso para trabalhar pela unificação”, afirmou.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo