NotíciaSaúde

Tratamento de 15 mil baianos está prejudicado por falta de entrega de medicamentos pelo MS

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) notificou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre o atraso na entrega de 37 medicamentos. Os fármacos, segundo a Sesab, são adquiridos de modo centralizado pelo Ministério da Saúde e não possuem substitutos. Sendo assim, cabe à pasta federal distribuir regularmente a estados e municípios.

A Saúde estadual sinalizou que cerca de 15 mil baianos estão com tratamentos prejudicados em virtude do desabastecimento.

A situação não é novidade. A inconstância e os problemas na distribuição dos medicamentos por parte da pasta federal se arrastam há mais de seis meses (entenda melhor aqui).

De acordo com o superintendente de Assistência Farmacêutica, Ciência e Tecnologia em Saúde (Saftec), Luiz Henrique d’Utra, a interrupção dos tratamentos em virtude da ausência de medicamento que deveria ser adquirida pelo Ministério da Saúde causa prejuízos incalculáveis na saúde, pois elas tratam doenças oncológicas, renais, alzheimer, parkinson, anemia falciforme, esclerose múltipla, hipertensão pulmonar, artrite reumatoide, epilepsia, toxoplasmose, dentre outras.

A desassistência atinge também os pacientes com diabetes Diabetes mellitus e dependentes de insulina do tipo glulisina na Bahia. Em julho os estoques do hormônio na Bahia chegaram a ficar zerados. A informação foi confirmada pela Sesab, que, na época, alertou sobre os constantes atrasos nas entregas do Ministério da Saúde (lembre aqui). Os pacientes com esse tipo de Diabetes começaram o mês de setembro sem a certeza e nem previsão de recebimento das canetas de insulina (leia mais aqui).

“A frequente irregularidade no abastecimento dos estoques de diversos medicamentos vem sendo notificada de modo reiterado pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) ao Ministério da Saúde, ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O último comunicado foi em 25 de outubro. Alguns destes medicamentos são importados e outros não estão disponíveis para venda direta ao público”, afirma Luiz Henrique d’Utra.

 A Sesab divulgou a lista de medicamentos com estoque zerado, confira:

Clozapina 25 mg

Dasatinibe 100 mg

Dasatinibe 20 mg

Deferasirox 125 mg

Desmopressina 0,1 mg

Fenoximetilpenicilina Potássica 80.000 UI/ML – SOL. ORAL

Galsulfase 5mg/5ml

Levetiracetam 750 mg

Olanzapina 10 mg

Riluzol 50 mg

Rivastigmina 3 mg

Rivastigmina 4,5 mg

Rivastigmina trandérmica 9 mg

Sildenafila 25 mg/

Sildenafila 50 mg

Sulfadiazina 500MG – Comprimido

Teriflunomida 14 mg

A pasta também informou aqueles medicamentos com risco iminente de desabastecimento:

Cinacalcete 30 mg

Clozapina 100 mg

Deferasirox 500 mg

Etanercepte 50 mg/mL – Brenzys

Idursulfase 2 mg/mL

Insulina Análoga de Ação Rápida 100 UI/mL

Lanreotida 120 mg

Lanreotida 90 mg

Mesilato de Imatinibe 100 mg

Mesilato de Imatinibe 400 mg

Pramipexol 1 mg

Pramipexol 0,25 mg

Rasagilina 1 mg

Rivastigmina 6 mg

Sildenafila 20 mg

Tafamidis 20 mg

Taliglicerase 200 UI

Toxina Botulínica 100 UI

Ustequinumabe 45 mg/0,5mL

Vedolizumabe 300mg

Fonte: Bahia Notícias

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo