CulturaDestaque

Caruru de sete meninos e distribuição de doces; Conheça as tradições de Cosme e Damião

Nesta segunda-feira (27), é celebrado o dia de São Cosme e Damião ou os Ibêjis no candomblé

Todos os anos o mês de setembro na Bahia vem acompanhado de inúmeros pedidos para convite de ‘caruru’. Isso porque, nesta segunda-feira (27), sempre neste mês, é celebrado o dia de São Cosme e Damião ou os Ibêjis no candomblé. Mas como surgiu a tradição de oferecer caruru nesta data?

De acordo com o livro “Cozinhando História: receitas, histórias e mitos de pratos afro-brasileiros”, os Ibejis, filhos gêmeos de Xangô, ajudaram o pai a não mais ter a refeição devorada por Exu. Como recompensa, pediram que, quando tivesse amalá, ele os reservasse uma parte sem pimenta. Assim, anualmente eles são homenageados com o caruru, um prato semelhante ao amalá. 

No catolicismo, os gêmeos São Cosme e Damião não são crianças. Os santos médicos são protetores das crianças, doentes e necessitados. Eles seriam cristãos, em uma época em que o cristianismo não era aceito e por isso, foram perseguidos e mortos.

Caruru de sete meninos

Segundo a tradição afro-luso-baiana, existiam sete irmãos: Cosme, Damião, Doú, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi. É o que conta Odorico Tavares, no livro “Bahia – Imagens da terra e do povo”.

Em entrevista ao Saravá Cidade, o babalorixá André Nery, conta que certa feita tiraram um caruru para promover a cura de uma pessoa enferma. Somente os Ibejis tinham o poder da cura e, por esse motivo, os sete meninos foram convidados a comer aquela comida utilizando as mãos. Depois da refeição, as esfregaram no corpo do doente, livrando-o daquela enfermidade.

O caruru “completo” é servido em pratos de najé, acompanhado por xinxim de galinha, vatapá, arroz, milho branco, feijão fradinho, feijão preto, farofa, acarajé, abará, banana-da-terra frita, rapadura, inhame e pipoca.

Comida pronta, porção nas vasilhas de barro aos pés das imagens dos santos, ao lado das velas, balas e água. Depois, serve-se o caruru a sete meninos com, no máximo, 7 anos de idade cada. Eles comem juntos, com as mãos e só depois os convidados podem comer.

Distribuição de doces

Como a data é dedicada a dois orixás crianças, que foram associados a Cosme e Damião, nada melhor do que distribuir doces para crianças. Neste dia (27), devotos saem nas ruas com saquinhos de guloseimas e chocolates para oferecer gratuitamente as crianças. 

Fonte: Bahia.ba

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo