Polícia

Cruz das Almas: ADAB apreende mais de quatro toneladas de carne clandestina

A apreensão aconteceu na manhã deste sábado (25), em Cruz das Almas, no Recôncavo baiano. O Ministério Público, a Vigilância Sanitária do município, e a Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) apreenderam 4.165 (quatro mil cento e sessenta e cinco) quilos de carne clandestina. Durante a operação, o órgão apreendeu carne de boi, porco e carneiro. Os alimentos não tinham certificado de origem, e também não passaram por inspeção sanitária. 


Comerciantes reclamam a falta de apoio da Prefeitura. “Ninguém nos acompanha em nada, estamos a mercê. Se não tem condições de funcionar, tem que fechar o mercado de vez, porque aí nós vamos fazer outra coisa”. Desabafou emocionado Sérgio Almeida, comerciante do local há cerca de 25 anos.



Já a promotora Milena Soares Rocha alega que a carne é de origem ilícita, que coloca em risco a vida da sociedade. “Aconteceu uma audiência pública orientando os comerciantes os meios legais de comercialização da carne, foi assinado um termo de conduta entre eles e a Prefeitura, só que isso não foi cumprido. A gestão passada comprou uma câmera frigorífica mais não funcionou devido a rede de energia não suportar. Os comerciantes também não fizeram sua parte, todos estão aqui comercializando a carne de maneira ilícita” Relatou. 



A falta de água no local atrapalhou o trabalho de remoção da carne em alguns freezers. O que chamou a atenção dos fiscais e também da Promotoria foi a carne encontrada em um dos pontos comerciais, pois além de não ter procedência, também apresentava fortes odores desagradáveis. Todo o material apreendido será jogado no lixão do município e incinerado logo em seguida. Informações do Mídia Recôncavo



Ouça a entrevista com a Promotora Milena Soares
 

Ouça a entrevista com o comerciante Sérgio Almeida 

Veja as fotos da Operação: 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo