Cotidiano

Estudo diz que excesso de pesadelos na infância pode causar psicoses na vida adulta

Crianças que têm muitos pesadelos podem apresentar transtornos psicóticos na vida adulta. Segundo pesquisa da Universidade de Warwick, na Inglaterra, e publicada na revista científica Sleep, o excesso de pesadelos estaria associado a um maior risco de aparecimento de problemas de saúde. O levantamento informou que 47 em cada 1 mil crianças sofriam alguma forma de experiência psicótica. Aquelas que apresentavam sonhos aflitivos aos 12 anos tinham 3,5 vezes mais chances de desenvolver psicoses. De acordo com a pesquisa, o risco de episódios psicóticos duplicava se a criança passasse por um distúrbio do sono conhecido como "pânico noturno", uma espécie de pesadelo potencializado, caracterizado por gritos durante a noite. Dieter Wolke, um dos pesquisadores do estudo, afirmou que os "pesadelos são relativamente comuns, assim como os "pânicos noturnos", mas a frequência com que isso acontece pode indicar um problema mais sério", disse à BBC. No entanto, a pesquisa é cautelosa pelo fato de ainda não estar clara a relação entre distúrbios do sono e psicoses. Alguns especialistas acreditam que o bullying ou outros eventos traumáticos no início da vida podem causar ambos os sintomas. Outra hipótese é sobre as ligações sobre os cérebros das crianças, uma vez que as fronteiras entre o que é real e fantasioso são menos claras. Wolke considera que uma rotina regular na hora de ir para a cama e a qualidade do sono são elementos chave para reduzir o número de pesadelos. "A qualidade do sono é muito importante. As crianças têm de ir para cama com maior regularidade, evitar filmes que estimulem a ansiedade antes de dormir e não usar o computador durante a noite", orientou. Informações Bahia Notícias

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo