Saúde

Casos de dengue têm queda de 72% no estado

Salvador também registrou queda no no números de casos; segunda Sesab, a Bahia entrou e uma fase 'não epidêmica' da doença

Após dois anos seguidos de aumento no número de casos da dengue, o estado vive outros dois anos de redução. Até o momento, a queda de casos de dengue na Bahia é de 71,82% se comparado com 2020, que trazia o segundo período seguido de epidemia.

“Essa doença é caracterizada por períodos epidêmicos e não epidêmicos. Os anos de 2015 e 2016 foram epidêmicos, enquanto 2017 e 2018 não foram. Já 2019 e 2020 voltaram a ser epidêmicos e 2021 começa a ter a redução que esperamos ver novamente em 2022”, explica Ana Claudia Nunes, Coordenadora da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Ela afirma que o período epidêmico é sinalizado quando acontece aumento repentino e inesperado no número de notificações da doença ou quando a incidência supera 300 casos por 100 mil habitantes nas últimas quatro semanas. “Temos um diagrama de controle que indica se os casos prováveis de dengue estão dentro do esperado para o período considerando a série histórica. É a forma como conseguimos avaliar a redução ou aumento dos casos”, diz.

No caso da Bahia, entre os dias 1º de janeiro de 2021 e 10 de agosto de 2021, foram registrados 21.958 casos de dengue, um número quase quatro vezes menor do que os 77.920 casos da doença registrados no mesmo período de 2020. Além disso, a atual incidência da dengue no estado é de 147,6 casos por 100 mil habitantes, caracterizando a não epidemia.

Salvador também registra queda nos casos de dengue

O reflexo dos números estaduais pode ser visto na capital baiana. Entre os dias 3 de janeiro de 2021 a 7 de agosto de 2021, foram registrados 465 casos de dengue em Salvador, 95% a menos dos 10.278 casos notificados no mesmo período de 2020.

“Apesar de estarmos no período de redução, continuamos realizando ações de controle e educativa. Durante a vacinação contra a covid, por exemplo, a gente aproveita para divulgar a importância de se evitar criadouros e quais são todos os cuidados que cada munícipe deve ter”, diz Cristina Guimarães, coordenadora das ações de controle do Aedes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Ela explica que o controle continua principalmente nos locais onde há mais registro de casos, que atualmente são os distritos sanitários de Pau da Lima e Cabula/Beiru. “Quem mora nessa região precisa tomar mais cuidado ainda. Tem que usar repelente, mosquiteiro, verificar se os vizinhos estão mantendo os cuidados e, se necessitar da visita dos agentes, ligar para o Fala Salvador pelo número 156”, relata.

Fonte: Bahia.ba

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo