Política

Coluna de Claudio Santana: Uma chama que não se apaga

A semana começa cercada de expectativa em Governador Mangabeira devido a publicação no Diário Oficial do Estado de sábado/domingo – aliás, o diário oficial desse fim de semana está muito interessante para a população mangabeirense que muito em breve tomará conhecimento do que está por vir – de ato da presidência do TCM, que designou dois técnicos do seu quadro para realizar inspeção no município com o propósito de apurar denúncias apresentadas àquela corte pelo ex-vereador Antonio Lopes sobre as inúmeras, absurdas, e por demais conhecidas, irregularidades que se reproduzem de forma assustadora no seio da atual administração municipal.

 

A bem da verdade, o vereador, que acabou pagando um preço alto devido a perseguição que sofreu por parte da alcaide no exercício do seu mandato, e todos nós mangabeirenses, esperávamos uma maior celeridade na apuração dos fatos pelo TCM, até como forma de impedir que o dinheiro do povo mangabeirense continuasse a escoar pelo ralo da corrupção, o que lamentavelmente não aconteceu.

Certamente se o Tribunal de Contas dos Municípios tivesse adotado essas mesmas providências de agora e designado dois de seus técnicos para realizar a já mencionada inspeção com mais rapidez, o resultado do parecer opinativo do tribunal de contas pela aprovação das contas do ano 2011, e que até hoje não entendemos o motivo que impediu a sua publicação no site do referido órgão, seria diferente.

Mas a chama da esperança não se apagou. Além do que, por outro lado, todo esse tempo serviu para comprovar, e esperamos que seja levado em consideração, que se as falhas apontadas se tratassem de meros equívocos administrativos, essas irregularidades denunciadas em 2011 ao TCM e, repetidas vezes, da tribuna da câmara municipal pelo ex-vereador Antonio Lopes, já poderiam ter sido corrigidas. Se não aconteceu está caracterizado que não há boa fé no trato dos recursos públicos pela atual administração, demonstrando claramente que de obras superfaturadas a recursos que sequer foram aplicados, há muito a ser explicado pela gestora aos técnicos do TCM.

Eis então uma excelente oportunidade para que os senhores CHRISTIAN BENEVIDES DUARTE DE SOUZA e PAULO SÉRGIO FERREIRA MELO conheçam a histórica Fonte das Cabeças onde foram aplicados mais de 130 mil reais em um tampão de concreto. Ou quem sabe possam eles obter uma explicação convincente da administração municipal de como se pagou as obras de reforma de duas escolas como se concluídas estivessem quando ainda sequer tinham começado. Quem não se lembra do episódio das crianças que estudavam na Fecularia do mercado Produtor?

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo