Política

Temer: aliados admitem cassação e nomes de Maia e Meirelles surgem para indireta

 

 Aliados do presidente Michel Temer começaram a admitir, de forma reservada, que pode haver a cassação, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da chapa formada por ele e Dilma Rousseff na eleição de 2014.

De acordo com a colunista do G1, Andréia Sadi, Temer segue com a postura de enfrentar a delação da JBS, por isso não pensa em renunciar nem considera a possibilidade um impeachment. O presidente tem apostado no presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aliado do presidente, responsável por analisar os pedidos.

Oficialmente, Maia tem negado que o tema esteja em discussão na Câmara. Já segundo deputados, o presidente tem confidenciado que não será ‘pela sua caneta’ que Temer cairá.

Assessores da presidência calculam que três dos sete ministros do TSE cassariam a chapa.

Eleições indiretasOs aliados de Temer têm debatido nomes em caso de eleições indiretas, entre eles, os de Rodrigo Maia e do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Quem defende Maia diz que ele "herdaria" a base de apoio no Congresso.

Pesa contra Maia, na avaliação dos mesmos aliados, o fator Lava Jato. Ele é alvo de dois inquéritos autorizados por Edson Fachin.

Já no caso do nome de Henrique Meirelles, a avaliação de defensores é que ele tem respeito do mercado e garantiria a continuidade da agenda da pauta fiscal – principalmente as reformas.

Ventilado nos bastidores do governo está também o nome da ministra Carmen Lúcia. Mas a presidente do STF afasta a ideia a interlocutores. 

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo