Política

Geddel cita 2006 e diz que se arrependimento matasse ele não estaria entre nós

O candidato ao Senado na principal chapa de oposição ao governo da Bahia relembrou, durante o seu discurso na convenção que homologou seu nome, de Souto, e do vice Joaci Góes (PSDB), as eleições de 2006, que elegeu para o seu primeiro mandato o atual governador Jaques Wagner. Aliado dos petistas baianos na época, Geddel afirmou citando Paulo Souto que ajudou Wagner a derrotá-lo, mas disse que se arrependeu. “Se arrependimento matasse, eu não estaria aqui conversando com vocês”, afirmou o presidente do PMDB baiano. Em 2006, com o PMDB integrado à sua chapa, Wagner se elegeu no primeiro turno com 3.242.336 (52,88%) votos contra Souto que obteve 2.638.215 (43,02%). Para Geddel, a derrota do Souto, que ainda contava com a figura do líder carlista do ex-senador Antônio Carlos Magalhães – que morreu em 2009 – foi por “questões políticas”, mesma tese já defendida por Souto em entrevista recente ao Bocão News. “Quem ganhou foi Lula e não Jaques Wagner. Oito anos depois a Bahia quer mudanças e, diferente de 2006, a política não vai se aventurar em alguém para mudar”, afirmou. Informações Bocão News

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo