Política

Ex-tesoureiro do PT é impedido de trabalhar na CUT por Joaquim Barbosa

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) tirou a autorização de Delúbio Soares trabalhar na Central Única dos Trabalhadores (CUT) ao alegar que não há como se fiscalizar o trabalho do ex-tesoureiro do PT, condenado no julgamento do mensalão. Joaquim Barbosa também pontuou que Delúbio foi fundador da entidade, o que torna incompatível seu trabalho pelo artigo 28 da Lei de Execuções Penais. “No ato precário de fiscalização, limitou-se o fiscal a lançar no relatório um ‘ok’. Não há relatório de atividade, tampouco se registrou qualquer tipo de produção ou de tarefa que estaria sendo desenvolvida pelo apenado”, disse o presidente do STF. O advogado de Delúbio Soares, no entanto, insinuou que Joaquim teria adotado uma posição “sem solidez jurídica”. “Eu acho um absurdo. Vou correr ao plenário que tenho certeza que irá revogar. Quando se fala em regime inicial semiaberto, é logo no início e não depois de cumprir um sexto da pena. Acho totalmente sem fundamento”, afirmou. O ex-tesoureiro do PT trabalhava na sede da CUT, em Brasília, desde janeiro com um salário de R$ 4.500. A central sindical escreveu em nota que estranha a decisão de Joaquim e afirmou que não há qualquer irregularidade. Informações Folha de S. Paulo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo