Política

Cachoeira: Com policiamento reforçado, governador transfere capital da Bahia para Cachoeira

Sob forte esquema policial, o governador Jaques Wagner decretou a cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, capital da Bahia na manhã desta terça-feira (25). A cerimônia, que contou com a participação do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, do prefeito Carlos Pereira, e do bispo Dom Roque Cardoso Nonato começou pontualmente às 8h e durou apenas 20 minutos, atraindo poucos moradores da cidade para Praça da Aclamação.



Cerca de 15 viaturas das polícias civil e militar reforçaram a segurança do governador no entorno da Câmara Municipal de Cachoeira, onde Wagner hasteou a bandeira do Brasil diante de menos de 30 pessoas da comunidade, número bastante inferior ao de policiais. A segurança redobrada no local pretendia controlar uma manifestação de estudantes, organizada através da internet, que tinha a confirmação online de mais de 2 mil pessoas.



A ideia do grupo, que intitulou o movimento como #VemPraRuaCachoeira, era aproveitar a presença do governador para apresentar a ele as pautas de reivindicação de estudantes e moradores da cidade. No entanto, o protesto só ganhou as ruas de Cachoeira por volta das 10h, quase duas horas após a saída de Wagner.



Para Dom Roque Cardoso, a possibilidade do protesto durante a cerimônia com o governador impediu os moradores de irem assistir ao ato na Praça da Aclamação. “Eu mesmo deixei de trazer 284 crianças do Educandário Paroquial A Jesus por Maria assim que soube que estavam organizando manifestação pela internet. Fiquei temeroso e quase também não vim”, contou o bispo.



Já para a universitária Lorena Moraes, moradora de Cachoeira, a luta por políticas de segurança pública na cidade “merece a mobilização de todos”. Segundo a estudante da UFRB, “a luta de Cachoeira está dentro de um movimento nacional, que toma conta das ruas de todo o país, mas também tem pautas locais importantes”, como a melhoria do sistema de transporte alternativo, responsável pela ligação entre as cidades do Recôncavo Baiano.



Lorena acompanhou o grupo formado por cerca de 50 pessoas durante a passeata realizada no centro da cidade, que terminou na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, onde era realizada uma missa comemorativa à Data Magna de Cachoeira com alguns políticos da cidade. Após a celebração, eles entraram no local em silêncio e sentaram diante do altar, onde permaneceram por alguns minutos. Na saída, encontraram o prefeito Carlos Pereira, que aguardava o grupo para entender o objetivo do protesto.



Após receber um documento com as principais pautas de reivindicação, Carlos Pereira disse que vai analisar os itens que cabem à prefeitura e encaminhar para Wagner o que for da responsabilidade do governo. “Acho importante a participação dos jovens neste movimento e fico muito feliz com a maneira pacífica como protestaram”, disse o prefeito.



A transferência da sede do governo para a cidade no dia 25 de junho é um ato simbólico de reconhecimento do papel histórico de Cachoeira nas lutas pela independência da Bahia. À noite, Gilberto Gil, Saulo Fernandes, Estakazero e Sine Calmon fazem shows gratuitos em comemoração à data, encerrando também os festejos juninos da cidade. Correio

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo