Política

Deputados evangélicos detonam campanha para o Dia Internacional das Prostitutas

A campanha lançada pelo Ministério da Saúde para o Dia Internacional das Prostitutas, celebrado neste domingo (2), provocou uma reação conjunta de deputados da bancada evangélica nesta semana. Ontem, muitos deles cobraram explicações do ministro Alexandre Padilha e aproveitaram para alfinetar a presidente Dilma Rousseff. Em uma das peças da campanha que foram divulgadas, há a frase: "Eu sou feliz sendo prostituta".

Alguns dos deputados receberam a proposta da peça publicitária de maneira bastante reticente. Já outros, como o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) foram mais incisivos: "O que o governo faz é um crime, é apologia à prostituição. O governo está patrocinando um crime ao defender essa conduta", declarou ao jornal Folha de São Paulo.



A deputada Liliam Sá (PSD-RJ) afirmou que a campanha do Ministério da Saúde era um desfavor à sociedade: "O que é isso? Ninguém é feliz sendo explorada sexualmente", afirmou à publicação. Claramente irônico, o deputado João Campos (PSDB-GO) se arriscou a prever as próximas campanhas que serão criadas pelo ministério: Sou adúltero, sou feliz. Ou incestuoso, siga-me. Ou sou pedófilo, sou feliz, sou realizado".



O presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano (PSC-SP) também pediu para que o governo desse explicações para o que considera uma "famigerada campanha". Correio

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo