DestaqueEsportesGeralNotícia

Com faixas pedindo sua saída, Paiva explica conversa com organizada

Em coletiva, treinador explicou o que conversou com torcedores que foram ao CT

O empate em 0x0 contra o Corinthians neste sábado marcou mais uma partida com protestos da torcida contra a permanência do técnico Renato Paiva no comando do Bahia. Em 16º lugar na Série A com apenas 14 pontos somados, o tricolor segue sendo ameaçado pelo rebaixamento e torcedores cantaram e levaram faixas pedindo a saída do português.

Após o jogo, na coletiva de imprensa, Renato Paiva explicou o tom da conversa que teve com membros de uma organizada do Bahia que esteve no CT Evaristo de Macedo cobrando melhorias no time nesta última semana.

“Tive uma reunião com a bamor no CT, em público, e eles falaram sobre algumas falas minhas, como a que eu disse ‘quem manda é o City’, e que assim eu teria desvalorizado a torcida. Falei isso em entrevista, mas é uma pena que eles tenham visto só uma parte da entrevista. Porque lá eu disse: a torcida sempre terá direito a ter opinião. Quem avalia meu trabalho é o grupo City porque eles é que estão no dia a dia, vendo meus treinos, planejamento, gestão de jogadores e etc. Isso não implica que a torcida não tenha sua avaliação sobre meu trabalho’, iniciou.

O português completou dizendo que não se importa com as críticas que não insultam. Mas, mesmo que haja críticas ofensivas, que elas sejam direcionadas a ele e ao seu trabalho, e não aos atletas durante os 90 minutos de partida. O comentário parte após momentos onde a torcida tricolor vaiou jogadores que vem em má fase.

“Disse a ele e digo aqui: em todas as coletivas que tive um microfone após um jogo do Bahia, ou em 95% delas, eu valorizei a torcida do Bahia. E desfiei as pessoas da organizada a trazer um vídeo em que eu critiquei a torcida, ou falei mal. Digam um, apresentem uma prova. Não há. A única coisa que disse foi: por favor, se vocês amam o Bahia, não vaiem os atletas e xinguem eles durante os jogos. Isso não ajuda. Apoiem eles e venham pra cima de mim. Insultem, peçam minha saída… mas concentrem a força negativa em mim. Enquanto eles jogam, apoiem os atletas. O Bahia tem das melhores torcidas do brasil”, finalizou Renato Paiva.

Fonte: Correio

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo