Geral

Dona de prostíbulo em Cachoeira, ‘Cabeluda’ fala de seu trabalho e defende permanência

 Responsável por uma casa de mulheres da vida em Cachoeira, no recôncavo, há mais de 40 anos, "Cabeluda" como prefere ser chamada, falou a reportagem do Cruz na Tela, na tarde do dia (27-07) sobre o seu trabalho, juntamente com algumas mulheres que frequentam o seu estabelecimento, para vender o corpo, garantindo o prazer aos homens que procuram o local. Durante a entrevista, ela que tem 73 anos, contou detalhes importantes de sua vida.

Procuramos saber da polêmica, sobre o desejo do delegado titular da cidade, Eduardo Coutinho em fechar essas casas no município, alegando que são pontos frequentados por traficantes, pessoas que procuram usar e comercializar drogas, o que preocupa a polícia. 
Em defesa de seu local de trabalho, Cabeluda alegou desconhecer o fundamento para essa denúncia, uma vez que não permite desrespeito e nem vandalismo em seu comércio, ou até mesmo acúmulo de pessoas envolvidas com uso ou venda de entorpecentes. Até o momento, nenhuma decisão judicial foi apresentada, favorável ao fechamento das casas. 
Enquanto isso a rua 07 de setembro, popularmente conhecida como "Rua do Brega", região do porto na cidade, continua sendo um dos locais mais procurados de Cachoeira.
 
Fonte :Cruz na Tela

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo