Geral

Outros dois macacos são achados com suspeita de febre amarela em Salvador

 Dois macacos com indícios de contaminação pelo vírus da febre amarela foram resgatados na manhã desta quinta-feira (30) na Avenida Vasco da Gama e no Parque da Cidade, no Itaigara, em Salvador. Os animais foram resgatados pelo Grupo Especial de Proteção Ambiental (Gepa) da Guarda Civil Municipal de Salvador (GCM). O macaco encontrado na Vasco da Gama estava morto.

 

Quatro animais já tiveram a presença do vírus confirmado nos bairros de Ilha Amarela, Vila Laura, Paripe e Itaigara. Depois da confirmação dos casos, as Secretarias Estadual e Municipal da Saúde (Sesab e SMS, respectivamente), anunciaram, na quarta-feira (29), a liberação de 400 mil doses extras da vacina contra a doença. 

A medida, que tem como objetivo, imunizar quem ainda não tem as duas doses registradas no cartão de vacinação, foi adiantada com exclusividade pela Coluna Satélite do CORREIO, também nesta quarta. 

 

Desde o início do mês, o órgão já capturou 32 macacos, todos da espécie Mico do Tufo Branco, animal comum na capital baiana.  “Todos os dez animais que resgatamos no Itaigara até agora estavam vivos, porém debilitados e encontrados caídos no chão”, disse o supervisor do Grupamento Ambiental, Robson Pires. 

Macacos mortos

O primeiro caso confirmado de morte de macaco por febre amarela foi na zona rural de Alagoinhas, a 120 km da capital baiana. Com a confirmação, a Sesab intensificou as ações de controle do vírus no município, liberando 100 mil doses extras de vacina.

 

A Secretaria destaca que os macacos não transmitem a doença, e sim o mosquito Aedes aegypti. Após a apreensão, os bichos são encaminhados para a unidade do Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama (CETAS), caso ainda estejam vivos, onde são extraídas amostras de sangue para investigar se há ou não infecção pela febre amarela. Em caso do macaco estar morto, o corpo é levado para o Lacen, onde é efetuada necropsia para investigar a causa da morte.

Segundo dados da Coordenação de Gestão da Informação da Guarda Civil, em 2015 foram resgatados 62 micos. Já no ano anterior, 89 macacos foram resgatados em diversos bairros da cidade. 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo