Geral

Chuva traz esperança para produtores de fumo no Recôncavo baiano

 Depois de quatro anos enfrentando um forte período de estiagem, produtores de fumo da zona rural de Cabaceiras do Paraguaçu, no Recôncavo baiano, renovam suas esperanças. Na manhã deste domingo (21) a reportagem do Mídia Recôncavo esteve presente na propriedade do Sr. Antonio da Silva Sampaio, morador da localidade de Lagoa Seca.  No início do mês de junho o produtor plantou 13 mil pés de fumo, em uma área de 5.400m² da propriedade.  O primeiro corte das folhas já aconteceu na semana passada, e seu Antonio garante que já foram colhidas mais de dez arrobas de um produto de qualidade. A estimativa é de que a produção chegue a um total de noventa arrobas (mil e trezentos e cinquenta quilos).


Esse ano a produção de fumo no Recôncavo surpreendeu os agricultores

Apesar do intenso trabalho na lavoura, a maior parte dos lucros não fica com a família de seu Antonio, pois a produção é vendida para atravessadores, que revendem para as grandes empresas por um preço bem mais elevado. Outro desafio para os pequenos produtores rurais é a falta de mão de obra, o que aumenta ainda mais o custo da produção. A diária de um trabalhador chega a custar R$ 30. “Até concluir o processo de produção, temos que usar bastante mão de obra terceirizada, o que diminui o nosso lucro e nos desanima para futuras produções”.  Desabafa.

Apesar do período prolongado de chuva na região, a água não foi suficiente para encher as cisternas e os reservatórios naturais, que secaram devido a maior seca dos últimos anos.  Mas para os agricultores de Cabaceiras a chegada da chuva representa esperança para um planejamento melhor na produção dos próximos anos. Informações do Mídia Recôncavo 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo