Geral

Não me arrependi, diz Barroso sobre bate-boca com Gilmar Mendes

Logo ele, um sujeito que medita, não se reconheceu ao ver a TV. Assim o ministro Luís Roberto Barroso narrou como se sentiu após a desavença que teve com o colega do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes, a quem acusou de ter "pitadas de psicopatia" em março. "Não vou explorar esse assunto. Quando vi na TV pensei, ‘essa pessoa não sou eu, eu sou um sujeito que medita todos os dias, vivo de bem com a vida’", disse o ministro em debate na Casa Época/Voque, neste sábado (28), durante a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty). A plateia gargalhou quando Barroso logo emendou: "Não me arrependi, não". Referia-se ao bate-boca que teve na corte, cinco meses atrás, com Gilmar. "Me deixa de fora desse seu mau sentimento. Você é uma pessoa horrível. Isso não tem nada a ver com o que está sendo julgado. É um absurdo Vossa Excelência aqui fazer um comício cheio de ofensas, grosserias. Já ofendeu a presidente, já ofendeu o ministro Fux, agora chegou a mim", interrompeu Barroso naquela sessão. E mais: "O senhor é a mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia", disse Barroso a Gilmar. "A vida para Vossa Excelência é ofender as pessoas. Qual a sua ideia? Qual sua proposta? Vossa Excelência é uma vergonha, é uma desonra para o tribunal. Vossa Excelência, sozinho, desmoraliza o tribunal. Está sempre atrás de algum interesse que não o da Justiça" (lembre aqui). Em Paraty, Barroso disse não ter "interesse em estimular isso". Mas continuou falando do assunto. "Imagina você trabalhando num lugar onde um colega seu extremamente agressivo, grosseiro, que ofenda pessoas e plante notas falsas sobre você nos jornais. Tudo isso a meditação absorveu. Um dia [a briga] aconteceu, foi um acidente da estrada".

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo