Geral

Padres mais velhos puxam aumento de clérigos no país

Por pouco José Ferreira Filho não deu a uma namorada o status de “ex-mulher do padre”. “Tinha tudo para casar com esta moça. Só que eu me sentia extremamente amado e não sentia que podia amá-la tanto de volta.”Ele queria, sim, entrar na igreja e selar uma união para toda a vida. Mas não de smoking, e sim de batina. Em novembro de 2017, 16 anos após desmanchar aquele relacionamento, enfim realizou o sonho de ser ordenado. O novo vigário da paróquia já contava meio século de vida.José, 50, se encaixa num duplo fenômeno em marcha na Igreja Católica brasileira. Enquanto a população dos que a seguem encolhe no país, o número de padres se dilata —e os que optam pela vida clerical são cada vez mais velhos.Projeção para 2018 feita pelo Ceris (Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais), órgão da CNBB (Conferência Nacional de Bispos do Brasil), aponta 27,3 mil padres no país —um clérigo para 7.802 habitantes. No último censo interno da Igreja, de 2014, eram 24,6 mil (um padre para de 8.130 brasileiros).Já a tendência de seminaristas com mais rugas e menos espinhas foi detectada internamente e discutida na 56ª Assembleia-Geral da CNBB, que terminou no último dia 20.Até os anos 1980, nove em dez brasileiros se declaravam católicos.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo