Educação e Cultura

Primeira colocada em medicina na USP é negra e aluna da rede pública

 A estudante Bruna Sena, 17 anos, é a primeira colocada em medicina da USP de Ribeirão Preto, curso mais concorrido da Fuvest-2017. Negra e estudante de escola pública, ela é militante social e defende as cotas para universidade. No seu perfil do Facebook, a jovem postou uma frase que provocou polêmica: "A casa grande surta quando a senzala vira médica". 

A garota foi criada sozinha pela mãe, Dinália Sena, que é caixa de supermercado. Com salário de R$ 1.400, ela sempre priorizou a educação da filha. A garota fazia kumon de matemática com ajuda dos vizinhos e no último ano, além de estudar em uma escola pública, ganhou uma bolsa para um cursinho que tem aulas ministradas por alunos da própria USP. Ela ia de manhã para a escola e de noite para o cursinho.

"Quero atender pessoas de baixa renda, que precisam de ajuda, que precisam de alguém para dar a mão e de saúde de qualidade", disse a estudante à Folha de S. Paulo. Ela defende o uso de cotas raciais no vestibular: "Não há como concorrer de igual para igual quando não se tem oportunidades de vida iguais", afirma. 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo