COVID-19

Sem zerar mortes por Covid como outros estados, Sesab alega uso de sistema diferente

Na Bahia, não ocorre o mesmo fenômeno desde 12 de abril de 2020.

No último 8 de novembro, nove estados brasileiros e o Distrito Federal não registraram quaisquer mortes em decorrência da Covid-19. Na Bahia, não ocorre o mesmo fenômeno desde 12 de abril de 2020. Do dia seguinte àquele até esta terça-feira (16), a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) teve a notificação de pelo menos uma pessoa morta em função da doença em todos os 582 dias.

Segundo Márcia São Pedro, diretora da Vigilância Epidemiológica da Bahia, o motivo da diferença em relação às outras unidades da federação está no sistema utilizado para contabilizar as ocorrências. De acordo com ela, atualmente, as mortes notificadas nos boletins epidemiológicos são todas das últimas 24 horas. O mesmo não ocorreria nos demais estados.

“No nosso boletim, os óbitos aconteceram nas últimas 24 horas. Hoje, o pessoal já faz a notificação em tempo real, imediata. Então já não está tendo tantos óbitos atrasados, que aconteceram anteriormente. A gente consegue acompanhar isso de uma forma melhor”, disse São Pedro, em entrevista ao Bahia Notícias.

A diretoria da Vigilância Epidemiológica ainda afirmou que o SIVEP-Gripe, ligado ao DataSUS, do Ministério da Saúde, tem apresentado instabilidades grandes há pelo menos duas semanas, o que provoca um atraso no registro das mortes por Covid nos estados. Esse erro não ocorre na Bahia, conforme Márcia São Pedro, porque a Sesab utiliza outro sistema de notificação de óbitos.

“O que acontece na Bahia? Na Bahia, a gente não usa apenas o SIVEP-Gripe. No início da pandemia, nós criamos um formulário próprio de notificação de óbitos. E foi publicada uma portaria obrigando a notificação em 24 horas. Por que a Bahia fez isso? Para não perder nenhum dado”, argumentou a diretora.

A portaria citada por São Pedro se trata da número 343, de 15 de junho de 2021, que enfatiza a necessidade da notificação ser feita no sistema estadual no mesmo dia em que ocorre a morte por Covid-19. Isso, na avaliação da diretora, minimizou os atrasos na divulgação das ocorrências tidas na Bahia.

Além de exaltar o sucesso do sistema de notificações implantado pela gestão estadual, Márcia São Pedro apontou problemas que provocam a resistência do número de óbitos por Covid na Bahia: as escolhas das pessoas, seja por não se vacinar, seja por abandonar o uso de máscaras.

“Hoje, a gente ainda tem óbito, primeiro porque estamos na pandemia, infelizmente. Pessoas estão morrendo, sendo acometidas pela Covid. E, apesar de estarmos avançando na vacinação, as pessoas ainda têm facilitado: ou não estão voltando para tomar a segunda dose, complementar o esquema vacinal, ou se vacinam, tiram a máscara e vão se aglomerar”, finalizou.

Nas últimas 24 horas, a Sesab confirmou 282 novas contaminações pelo novo coronavírus e quatro mortes em decorrência da infecção. No total, a Bahia acumula 1.252.627 casos confirmados da Covid-19 e 27.181 óbitos pela doença. No momento, 2.603 casos são considerados ativos.

Fonte: Forte na Notícia

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo